Sábado, 28 de Janeiro de 2012

 

Ontem, seguimos a sugestão do Dani e visitámos a coleção de instrumentos musicais do Dr. Louzã Henriques, exposta na antiga galeria do posto de turismo de Coimbra. O acesso faz-se pelas traseiras do Turismo, pela rua da Alegria. Foi aqui que viemos encontrar a nossa amiga Ágata que, mais uma vez e com a simpatia habitual, nos guiou a visita.

 

 

 

Em 2004, uma coleção de instrumentos musicais reunida pelo médico Louzã Henriques passou a integrar o programa do Museu Municipal. Neste momento a exposição exibe uma série de cordofones provenientes de várias regiões do mundo e de várias épocas. A Ágata começou por nos explicar o que é um cordofone.

 


 

 «Os cordofones - lê-se no texto introdutório da exposição - são instrumentos musicais cuja fonte primária de som é produzida pela vibração de uma corda. Considera-se, relativamente à sua origem, que os instrumentos de cordas são derivados do arco de caça, utilizado pelo homem desde os seus primórdios.» Assim, compreendemos a inclusão de um arco e flecha num lugar central da exposição o que inicialmente nos deixou um pouco confusos.

 

 

 

O berimbau, proveniente do Brasil, chegou às Américas levado pelos escravos africanos e é um dos cordofones mais simples, conservando ainda muitas semelhanças formais com o arco. É constituído por uma corda em tensão presa num arco e com uma cabaça a funcionar como caixa de ressonância. 

 

 

 

O percurso expositivo está organizado em quatro vitrinas, cada uma alusiva a um dos continentes, com exceção da Oceânia. É muito interessante verificar as semelhanças entre os diversos instrumentos musicais produzidos por povos e culturas tão distantes. Dividimo-nos então em quatro grupos para fazermos um jogo. Cada grupo tinha que apresentar um conjunto de instrumentos de cada um dos continentes, depois de os observar, descrever e desenhar.

 

 

No final do jogo, ainda tivemos tempo para fotografar todos os instrumentos: balalaica da Rússia, banjo e bandolim da América, yuequin e jinghu da China, gopichand e ektar da Índia, um violino italiano, cítaras da Europa central; harpas,  liras e alaúdes africanos, entre outros.

 

 

Antes de regressarmos para a escola, recebemos ainda uma pequena recordação da Ágata: um envelope com uns instrumentos musicais para montar. Assim passámos mais uma tarde. Bom fim de semana a todos e até à próxima visita que será organizada pelo nosso amigo João Tiago.

 

 



publicado por CP às 08:00
Blogue oficial do Clube do Património da Escola Básica Eugénio de Castro - Coimbra
mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
25
26
27

29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO