Domingo, 16 de Maio de 2010

 

Na sexta-feira, saímos para um piquenique no Penedo da Saudade. Ainda hesitámos, pois o tempo estava cinzento. Felizmente, não choveu, pelo que passámos uma tarde divertida. Aqui estamos em frente à estátua do pedagogo e poeta João de Deus. Prometemos uma biografia.

 


 

As vistas são muito bonitas. Avistamos todo o bairro da Solum, a avenida Elísio de Moura e a encosta do Tovim, a Casa Branca, o Alto de S. João e o Bairro Norton de Matos.

 

 

O Estádio Cidade de Coimbra impõe-se na paisagem.

 

 

O Penedo da Saudade é famoso pelas lápides com versos escritos pelos estudantes quando se despedem da cidade ou quando, muitos anos após, aqui regressam para relembrar os tempos da juventude.

 

 

A vegetação é muito bonita, e o jardim está cheio de recantos muito agradáveis.

 

 

Explorámos todos os caminhos até ficarmos com fome. Foi então que chegou a professora Conceição com os farnéis.

 

 

Ainda houve tempo para apreciar a paisagem, antes de regressarmos à escola.

 



publicado por CP às 19:37
Sábado, 08 de Maio de 2010

No regresso da visita à Sé Nova, passámos pelo edifício das Matemáticas para apreciar os frescos do Almada Negreiros. A Inês redigiu o texto. As fotografias são da Kayleigh.

 

José Almada Negreiros foi uma das mais singulares e ricas personalidades do mundo cultural português. Era pintor e poeta e pode-se dizer que está na base de toda a Arte Portuguesa da actualidade.

Iniciou a sua actividade com a participação na 1ª Exposição do Grupo de Humoristas Portugueses. Com esta exposição nasce a chamada Arte Moderna Portuguesa. José Almada Negreiros foi um dos mais importantes modernistas.

Em 1913 havia iniciou uma relação de amizade com Fernando Pessoa.

Na segunda metade do século XX, Almada Negreiros torna-se desenhador, conferencista, bailarino, novelista, crítico - panfletário, pintor e poeta.

 



publicado por CP às 12:20
Sexta-feira, 07 de Maio de 2010

Na semana passada, fomos à Sé Nova.

 

 

Originalmente, a Sé Nova foi a igreja do Colégio dos Jesuítas (Colégio das Onze Mil Virgens), que se haviam instalado em Coimbra em 1541.

 

A igreja começou a ser construída em 1598, seguindo um projecto do arquitecto oficial dos Jesuítas em Portugal, Baltazar Álvares, influenciado pela igreja do Mosteiro de S. Vicente de Fora, em Lisboa.

 

 

 

A fachada é constituída por dois corpos sobrepostos, divididos em seis sectores por pilastras dóricas. Tem quatro nichos com estátuas de Santo Inácio, S. Luís Gonzaga, S. Francisco Xavier e S. Francisco de Borja. As esculturas do topo são de S. Pedro e S. Paulo.

 

 

 

O interior é de uma só nave abobadada com capelas laterais e transepto com cúpula e lanternim. (Já repararam que a Inês tem um braço a sair do pescoço? Será um monstro?)

 

 

 

 

 

O cadeiral da capela-mor, do séc. XVII, foi trazido da Sé Velha, assim como a magnífica pia baptismal de uma das capelas laterais, esculpida em estilo gótico-manuelino por Pêro e Filipe Henriques, no início do séc. XVI.

 

 

 

 

Não nos despedimos da Sé Nova sem antes observar a magnífica talha dourada do altar-mor e dos altares laterais.

 

 

Esta pesquisa foi realizada pela Francisca, as fotografias são da Kayleigh e o post foi introduzido pelo Duarte Mendes e pelo professor.



publicado por CP às 15:21
Blogue oficial do Clube do Património da Escola Básica Eugénio de Castro - Coimbra
mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO